O surgimento, nesse ano, da figura de um curador-geral da mostra transformaria por completo os rumos da Bienal. O crítico e ex-diretor do Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP) Walter Zanini foi o primeiro a assumir o posto, em uma edição que aboliu espaços separados por país e optou por agrupar as obras por “analogia de linguagem” (técnicas e temas). Também marca o fim do boicote à Bienal e a abertura política no país.

16 de outubro - 20 de dezembro de 1981

Presidente da Bienal: Luiz Diederichsen Villares
Curadoria-geral: Walter Zanini
No conselho de arte e cultura: Casimiro Xavier de Mendonça, Donato Ferrari, Paulo Sérgio Duarte
Curador da exposição de arte postal: Julio Plaza
Curadora de videoarte: Cacilda Teixeira da Costa
Entre os curadores de cinema: Agnaldo Farias
Na comissão internacional para organização da exposição: Walter Zanini, Bruno Mantura (Itália), Donald Goodall (EUA)
Curador da "Exposição internacional de arte incomum": Victor Musgrave
Curadora da "Exposição nacional de arte incomum": Annateresa Fabris

Salas especiais

Retrato do México, Paul Delvaux.

  • Exposições integrantes

  • Exposição: Arte Postal
    curadoria de Julio Plaza e Gabriela Suzana
  • Exposição: Arte Incomum
    curadoria de Annateresa Fabris e Victor Musgrave
  • Exposição de livros de artistas
  • Exposição de videoarte
    curadoria de Cacilda Teixeira Costa

Cartaz da 16ª Bienal de São Paulo. Autor: Cláudio Moschella

  • Eventos paralelos

  • 1º Encontro de Arte, Sociedade e Utopia 
  • Concurso de cartazes
  • Exposição dos Projetos de Cartazes
  • Exposição Música e Dança no Antigo Peru 
  • Encontro dos Representantes das Bienais no Mundo
  • Exposição do Museu do Ouro Colombiano
  • Mostra BNH (arquitetura)
  • Exposição: Quatro Grandes Pintores em São Paulo
5ª Bienal de São Paulo
02 2014
5ª Bienal de São Paulo
27 2013
11ª Bienal de São Paulo
17 2013