Influência marcadamente expressionista e uma expografia inusitada pautaram o debate ao longo de toda a 18ª Bienal. A curadora Sheila Leirner dispôs boa parte das obras em três corredores de cem metros de extensão, instalou dezenas de quadros lado a lado, uma expografia que denominou a Grande Tela – escolha que gerou discussão.

4 de outubro - 15 de dezembro de 1985

Presidente da Bienal: Roberto Muylaert
Curadoria-geral: Sheila Leirner
No conselho de arte e cultura: Sábato Magaldi, Casimiro Xavier de Mendonça, Renina Katz

  • Exposições especiais

  • Expressionismo no Brasil: Heranças e Afinidades
    curadoria de Stella Teixeira de Barros e Ivo Mesquita
  • O Turista Aprendiz
    curadoria de Maureen Bisilliat e Antonio Marcos da Silva
  • Movimento Cobra
    curadoria de Karel van Stuijvenberg (Holanda)
  • Entre a Ciência e a Ficção
    curadoria de Berta Sichel e Robert Atkins
  • Vídeo Arte 
    curadoria de Jorge Glusberg (Argentina)
  • Máscaras da Bolívia

Cartaz da 18ª Bienal de São Paulo. Autora: Cláudia Stamacchia

  • Eventos paralelos

  • Programação paralela
    curadoria de Ayala Kalnicki; conferências, painéis, ciclo de cinema
  • Música e Outros Eventos
    curadoria da Anna Maria Kieffer
  • Homenagem a Danilo Di Prete
  • A Criança e o Jovem na Bienal
  • Xilogravuras Contemporâneas na Literatura de Cordel

Parte do programa "A Grande Tela" realizado pela RTC (Rádio e Televisão Cultura São Paulo) sobre a 18ª Bienal de São Paulo - Instalação de Alex Vallauri: Festa na Casa da Rainha do Frango Assado

4ª Bienal de São Paulo
04 2013
5ª Bienal de São Paulo
02 2013
11ª Bienal de São Paulo
17 2013