Com o tema "Utopia versus realidade", a 19ª Bienal teve no alemão Anselm Kiefer sua grande figura de destaque. Com presença marcante de instalações e esculturas, o terceiro andar do pavilhão recebeu a monumental Palette mit Flügel (1985) de Kiefer e a instalação Enquanto flora a borda... (1982), de Tunga, que escorregava do teto ao piso pelo grande vão central do pavilhão.

Presidente da Bienal: Jorge Wilheim
Curadora-geral: Sheila Leirner
Equipe curatorial: Ivo Mesquita, Sônia Salzstein-Goldberg, Gabriela S. Wilder, Arturo Schwarz, Rafael França, Joice Joppert Leal, Angela Carvalho, Ana Maria Kieffer
No conselho de arte e cultura: Luiz Paulo Baravelli, Ulpiano Toledo Bezerra de Menezes (museólogo), Maria Alice Milliet (historiadora de arte)

“(...) Duchamp simboliza sobretudo uma profunda nostalgia daquilo que a nossa geração não viveu e não viverá jamais. Pois, para nós, perdeu-se para sempre aquele impulso inovador, a intransigência crítica, o radicalismo, onde reside o poder revolucionário de choque e a surpresa da vanguarda. Hoje, diante da obra de Duchamp - não há mais como negar- a vanguarda não é mais vanguarda, mas algo muito mais inócuo. Como num vácuo da História, estamos alienadamente instalados num turbilhão contraditório de estilos e procedimentos.” (LEIRNER, 1987)
“A Bienal paulistana voltava a ser sucesso, falava-se em um público de mais de 200 mil pessoas - que com isso teria empatado com o número de visitantes que recebera a última Documenta de Kassel. Sem nada parecido com a Grande Tela e contando com a colaboração e o trabalho de uma jovem equipe de curadores e críticos, essa Bienal, aventurou-se menos no território, um tanto retórico das ‘poéticas curatoriais’ e conseguiu assim um resultado que serviria de modelo para as bienais seguintes.” (ALAMBERT, 2004)
“Aqui está o nosso museu: afetivo, pessoal, subjetivo, trágico. Conscientemente público e, ao mesmo tempo, responsável. Em favor da obra e em oposição ao ‘cubo branco’ que representa tão bem a neutralidade apolínea da museografia contemporânea.” (LEIRNER, 1987)
4ª Bienal de São Paulo
04 2013
5ª Bienal de São Paulo
03 2012
16ª Bienal de São Paulo
27 2012
19ª Bienal de São Paulo
06 2012