Apenas nessa edição a Bienal retomou o sistema de inscrições abertas, para artistas de todo o mundo. À frente da curadoria, João Cândido Galvão repetiu seu trabalho como curador dos setores de dança, música e teatro na 20ª Bienal, e foi bem-sucedido ao trazer dois espetáculos inesquecíveis para a Bienal: Suz/O/Suz, do grupo catalão Fura dels Baus, e O Trilogie Antică: Medeea, Troienele, Electra [Trilogia Clássica: Medeia, Troiana e Electra], de Henrik Ibsen, narrado em latim e grego pela Companhia de Teatro Nacional de Bucareste.

21 de setembro - 10 de dezembro de 1991

Presidente da Bienal: Jorge Eduardo Stockler
Curador-geral: João Cândido Galvão
Na comissão técnica de arte: Carmem Portinho, Evelyn Berg Ioschpe, Luiz Áquila
No júri de premiação: Casimiro Xavier de Mendonça, Fabio Magalhães, Maria Alice Milliet

Cartaz da 21ª Bienal de São Paulo. Autor: Rico Lins

  • Eventos paralelos

  • Apresentações de dança, música e teatro, seminários
    Arte e Identidade
    Identidade Artística e Cultural na América Latina
    As Presenças de Chinita Ullman e de Yanka Rudzka
    2º Seminário sobre Relações Artes Plásticas/Artes Cênicas
  • Concurso de cartazes

Obra de destaque: Parallel Lines (1991) de Ann Hamilton

publicações

4ª Bienal de São Paulo
04 2013