Apenas nessa edição a Bienal retomou o sistema de inscrições abertas, para artistas de todo o mundo. À frente da curadoria, João Cândido Galvão repetiu seu trabalho como curador dos setores de dança, música e teatro na 20ª Bienal, e foi bem-sucedido ao trazer dois espetáculos inesquecíveis para a Bienal: Suz/O/Suz, do grupo catalão Fura dels Baus, e O Trilogie Antică: Medeea, Troienele, Electra [Trilogia Clássica: Medeia, Troiana e Electra], de Henrik Ibsen, narrado em latim e grego pela Companhia de Teatro Nacional de Bucareste.

21 de setembro - 10 de dezembro de 1991

Presidente da Bienal: Jorge Eduardo Stockler
Curador-geral: João Cândido Galvão
Na comissão técnica de arte: Carmem Portinho, Evelyn Berg Ioschpe, Luiz Áquila
No júri de premiação: Casimiro Xavier de Mendonça, Fabio Magalhães, Maria Alice Milliet

Cartaz da 21ª Bienal de São Paulo. Autor: Rico Lins

  • Eventos paralelos

  • Apresentações de dança, música e teatro, seminários
    Arte e Identidade
    Identidade Artística e Cultural na América Latina
    As Presenças de Chinita Ullman e de Yanka Rudzka
    2º Seminário sobre Relações Artes Plásticas/Artes Cênicas
  • Concurso de cartazes

Obra de destaque: Parallel Lines (1991) de Ann Hamilton

publicações

4ª Bienal de São Paulo
04 2013
21ª Bienal de São Paulo
03 2013
5ª Bienal de São Paulo
03 2012
16ª Bienal de São Paulo
27 2012