Momento de repensar rumos e funções do evento, a 28ª Bienal realizada uma proposta radical ao manter o 2ª andar do pavilhão vazio, como uma Planta Livre, materializando um gesto de suspensão da mostra e de busca por novos conteúdos e configurações. A exposição se articulou em espaços e plataformas diversos: o térreo do pavilhão foi pensado como uma Praça – espaço para eventos e performances –, o 1ª andar abrigou, além de algumas obras, o Vídeo Lounge (curado por Wagner Morales), o 3ª andar, designado como um Plano de Leituras, foi ocupado por obras e pela Biblioteca – com catálogos de mais de duzentas bienais de todo o mundo –, onde também ocorreram cinco ciclos de conferências – sobre a Bienal de São Paulo e sobretudo sobre a política e economia de exposições periódicas – iniciadas meses antes da abertura da exposição; o catálogo formou-se de nove edições do jornal 28b, distribuído semanalmente pela cidade de São Paulo, com trabalhos de artistas e matérias jornalísticas sobre temas vinculados à 28ª Bienal; Carla Zaccagnini criou um playground (instalado no Parque Ibirapuera), Goldin+Senneby publicaram um livro (Looking for Headless), e um dos famosos escorregadores de Carten Höller ligava três andares pelo lado de fora do pavilhão e lançava visitantes de volta ao térreo. Apesar de justificada, a proposta da Planta Livre – um 2ª andar inabitado – causou polêmica e a 28ª Bienal ficaria conhecida como a “Bienal do Vazio”, como uma metáfora clara da crise conceitual atravessada pelos sistemas expositivos tradicionais e enfrentada pelas instituições que as organizam. Acontecimento marcante naquela edição foi a pichação do guarda-corpo no pavilhão, que germinou uma discussão sobre o tema no meio artístico e culminou na participação do grupo Pixação SP na edição seguinte.

26 de outubro - 6 de dezembro de 2008

Presidente da Bienal: Manoel Francisco Pires da Costa
Curador-geral: Ivo Mesquita
Curadora-adjunta: Ana Paula Cohen
Curador do Vídeo Lounge: Wagner Morales
Coordenadora-geral das conferências: Luísa Duarte

  • Projetos especiais

  • Archivo Abierto
    Centro Cultural Palacio la Moneda, Centro de Documentación de las Artes
  • Cinema Capacete
  • Ivaldo Bertazzo
  • Weightless Days
    Dennis McNulty, Detanico & Lain, Megumi Matsumoto, Takeshi Yazaki

Cartaz da 28ª Bienal de São Paulo. Autores: Daniel Trench, Elaine Ramos e Flavia Castanheira (intervenção sobre o cartaz da 1ª Bienal, criado por Antonio Maluf)

  • Plataforma de conferências

  • A Bienal de São Paulo e o meio artístico brasileiro: memória e projeção
  • Backstage
  • Bienais, bienais, bienais…
  • Conversas com Artista
  • História como matéria flexível: práticas artísticas e novos sistemas de leitura

Performance de Maurício Ianês durante a 28ª Bienal

publicações

4ª Bienal de São Paulo
04 2013
24ª Bienal de São Paulo
15 2013
21ª Bienal de São Paulo
03 2013
5ª Bienal de São Paulo
03 2012
16ª Bienal de São Paulo
27 2012
28ª Bienal de São Paulo
02 2012
19ª Bienal de São Paulo
06 2012