Momento de repensar rumos e funções do evento, a 28ª Bienal realizada uma proposta radical ao manter o 2ª andar do pavilhão vazio, como uma Planta Livre, materializando um gesto de suspensão da mostra e de busca por novos conteúdos e configurações. A exposição se articulou em espaços e plataformas diversos: o térreo do pavilhão foi pensado como uma Praça – espaço para eventos e performances –, o 1ª andar abrigou, além de algumas obras, o Vídeo Lounge (curado por Wagner Morales), o 3ª andar, designado como um Plano de Leituras, foi ocupado por obras e pela Biblioteca – com catálogos de mais de duzentas bienais de todo o mundo –, onde também ocorreram cinco ciclos de conferências – sobre a Bienal de São Paulo e sobretudo sobre a política e economia de exposições periódicas – iniciadas meses antes da abertura da exposição; o catálogo formou-se de nove edições do jornal 28b, distribuído semanalmente pela cidade de São Paulo, com trabalhos de artistas e matérias jornalísticas sobre temas vinculados à 28ª Bienal; Carla Zaccagnini criou um playground (instalado no Parque Ibirapuera), Goldin+Senneby publicaram um livro (Looking for Headless), e um dos famosos escorregadores de Carten Höller ligava três andares pelo lado de fora do pavilhão e lançava visitantes de volta ao térreo. Apesar de justificada, a proposta da Planta Livre – um 2ª andar inabitado – causou polêmica e a 28ª Bienal ficaria conhecida como a “Bienal do Vazio”, como uma metáfora clara da crise conceitual atravessada pelos sistemas expositivos tradicionais e enfrentada pelas instituições que as organizam. Acontecimento marcante naquela edição foi a pichação do guarda-corpo no pavilhão, que germinou uma discussão sobre o tema no meio artístico e culminou na participação do grupo Pixação SP na edição seguinte.

26 de outubro - 6 de dezembro de 2008

Presidente da Bienal: Manoel Francisco Pires da Costa
Curador-geral: Ivo Mesquita
Curadora-adjunta: Ana Paula Cohen
Curador do Vídeo Lounge: Wagner Morales
Coordenadora-geral das conferências: Luísa Duarte

  • Projetos especiais

  • Archivo Abierto
    Centro Cultural Palacio la Moneda, Centro de Documentación de las Artes
  • Cinema Capacete
  • Ivaldo Bertazzo
  • Weightless Days
    Dennis McNulty, Detanico & Lain, Megumi Matsumoto, Takeshi Yazaki

Cartaz da 28ª Bienal de São Paulo. Autores: Daniel Trench, Elaine Ramos e Flavia Castanheira (intervenção sobre o cartaz da 1ª Bienal, criado por Antonio Maluf)

  • Plataforma de conferências

  • A Bienal de São Paulo e o meio artístico brasileiro: memória e projeção
  • Backstage
  • Bienais, bienais, bienais…
  • Conversas com Artista
  • História como matéria flexível: práticas artísticas e novos sistemas de leitura

Performance de Maurício Ianês durante a 28ª Bienal

publicações

4ª Bienal de São Paulo
04 2013
24ª Bienal de São Paulo
15 2013