busca
Thomas Dupal • A palavra para serpente
23 Sep 2018 - 23 Sep 2018
15:30 - 15:45
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
22 Sep 2018 - 22 Sep 2018
17:30 - 17:45
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
22 Sep 2018 - 22 Sep 2018
15:30 - 15:45
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
21 Sep 2018 - 21 Sep 2018
17:30 - 17:45
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
20 Sep 2018 - 20 Sep 2018
17:30 - 17:45
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
16 Sep 2018 - 16 Sep 2018
15:00 - 15:30
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
15 Sep 2018 - 15 Sep 2018
18:00 - 18:30
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
14 Sep 2018 - 14 Sep 2018
18:00 - 18:30
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
13 Sep 2018 - 13 Sep 2018
18:00 - 18:30
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
09 Sep 2018 - 09 Sep 2018
15:00 - 15:20
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
08 Sep 2018 - 08 Sep 2018
18:00 - 18:20
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'
07 Sep 2018 - 07 Sep 2018
18:00 - 18:20
Pavilhão da Bienal (1º andar) Exposição 'A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um'

Performance solo do artista Thomas Dupal, como parte da programação que acompanha a exposição A infinita história das coisas ou o fim da tragédia do um. Combinando a palavra falada e o movimento coreográfico, o artista gera múltiplas narrativas mitológicas que ecoam e expandem os fios formais e metafísicos presentes na exposição de Sofia Borges, dando vida à citação de Franz Boas: "Parece que mundos mitológicos foram construídos apenas para serem destruídos novamente, e novos mundos foram construídos a partir dos fragmentos."